Freios ABS e Tradicional

Para quem adora carros e tecnologia, vamos mergulhar num dos componentes que podem salvar a sua vida, os freios. Eles estão entre os recursos que mais evoluíram nas últimas décadas. Antigamente não passavam de um mecanismo simples, respondia a um acionamento mecânico de um pedal. Hoje eles são acompanhados por uma família de siglas, como “ABS”, “EBD” e “AFU”, uma sopa de letrinhas que você precisa entender na hora de comprar o seu próximo carro.

Freio tradicional

Freio a Tambor

Hoje em dia ainda existe um freio chamado ‘freio de tambor’, que são usados nas rodas traseiras de alguns modelos de carros mais populares, além de ser um dos mais antigos, é totalmente mecânico. Esse freio funciona por um cilindro hidráulico que aciona as sapatas de freio para que elas gerem atrito com o tambor e pare o veículo. Veja como funciona na ilustração.

funcionamento freio tambor

Dá até para imaginar quão complicado seria a manutenção do freio a tambor, já que ele não se encaixa mais aos carros atuais, sem contar que apenas 30% de força da frenagem dos automóveis são feitas pelas rodas traseiras.

Freio a Disco

Há também os freios a disco que ficam nas rodas dianteiras e eles são responsáveis por 70% da força de frenagem do carro. Assim, como o freio a tambor, o sistema do disco também é mecânico. Ele funciona da seguinte forma: quando o motorista pisa no freio, uma pinça hidráulica é acionada, o que gera atrito com o disco e faz o carro parar, como ilustra a imagem:

freio a disco

Com o passar do tempo o sistema de discos evoluíram, não deixando de ser mecânico, a principal característica que avançou foi o tipo do material. Ah, até no automobilismo, os carrões de corrida usam discos de carbono para aumentar a performance do sistema de frenagem.

Freio ABS

É uma tecnologia que chegou nos anos 90. A parte mecânica foi deixada de lado para dar lugar ao freio eletrônico, um dos avanços no meio dos automóveis. A sigla ABS é ‘Antilock Brake System’, em inglês, já no português, quer dizer – Sistema Antibloqueio de Frenagem.

E o que acontece de diferente? Bom, por exemplo, você está em alta velocidade e precisa frear rapidamente, o ABS evita o travamento de uma ou mais rodas. E essas rodas, são compostas por um conjunto de sensores de velocidade, assim intercalada entre as quatro rodas.

O ABS também evita com que a pressão hidráulica na roda trave, assim quando pneu perder aderência com o pavimento não aconteça a derrapagem. Um sistema que veio pra fazer a diferença na vida dos motoristas, além de moderno é muito seguro.

Tipos de freios ABS

EBD – Electronic Brakeforce Distribution, que no português significa, Sistema de Distribuição Eletrônica de Frenagem. Essa classificação do ABS tem a finalidade de distribuir a frenagem entre eixos em casos normais, lembrando que 30% no eixo traseiro e 70% no dianteiro.

BAS – Break Assist System, este já atua em situações críticas, de perigo, uma parada rápida, pois a sua frenagem age de forma inteligente assim aumentando a força.

AFU é uma palavra francesa – Aide au Freinage d´Urgence, que no portguês é Auxílio à Frenagem de Urgência. Este atua em casos de emergência, porque assim que a velocidade é detectada pelo sistema, ele aplica uma força extra ao freio para que o carro pare e o ABS continue a funcionar. Há uma pequena falha que acontece no pedal do ABS, por causa da forte trepidação, assim com essa classificação o AFU minimiza e pode até anular essa imperfeição.